December 13, 2010

Atentado terrorista

Como vocês todos sabem (a menos que tenham passado o final de semana numa ilha deserta), um rapaz sueco de origem iraquiana se matou no coração de Estocolmo, a poucos metros da rua mais movimentada da capital, Drottninggatan. Foi o primeiro homem-bomba a agir em solo escandinavo. Duas pessoas se feriram, mas nada grave.

A explosão foi relativamente pequena, explicaram os especialistas. O rapaz, ao que parece, planejava se explodir num local muito mais populoso, na estação central ou no meio da drottninggatan, mas parece que uma das bombas explodiu antes do tempo. O carro dele, estacionado há metros dali, também explodiu.

Agora começam as especulações. A Suécia já foi palco de uma ação terrorista: o grupo Baader-Meinhof explodiu a embaixada da Alemanha Oriental em Estocolmo em abril de 1975. Mas dessa vez as coisas são diferentes. O rapaz que se explodiu completaria 30 anos ontem, era casado, tinha duas filhas e morava num apartamento na pequena cidade de Tranås, no interior sueco.

Os britânicos informaram à polícia secreta sueca, cujo nome é, pasmem, Säpo (pronuncia-se séépo) que estavam investigando o rapaz. A razão é que ele morou em Luton, perto de Londres, e estudou na mesma universidade dos rapazes que se explodiram no ônibus e no metrô da capital britânica em 2005.

Ontem na TV, representantes da comunidade muçulmana estavam muito preocupados com a repercussão do ato terrorista. O ambiente, já complicado para quem tem raiz árabe, vai ficar ainda pior. Não se sabe ainda o quanto pior, mas melhor é que não vai ficar.

Os suecos ainda não estão acreditando que isso aconteceu aqui. A minha impressão é que alguns nativos têm dificuldade de aceitar que o país não é mais homogêneo, que as coisas mudaram. E mudaram mesmo. Desde o início da guerra do Iraque, em 2001, a Suécia recebeu mais refugiados iraquianos do que qualquer outro país do mundo. Se não me engano, a colônia iraquiana já completou 50 mil pessoas (muitíssimo mais do que os EUA inteirinho.)

Imagina como é que vai ser a vida dessas pessoas a partir de agora?

A palavra em sueco do dia é självmordsbombare, homem-bomba (mais ou menos).

Filed under: Europa & Escandinávia,Notícias do primeiro mundo — Maria Fabriani @ 12:08

3 Responses to “Atentado terrorista”

  1. Mauro Says:

    Acho que esse é o problema com essas religiões que valorizam a martirização. Eles provavelmente *querem* complicar a vida dos muçulmanos no mundo todo, para poderem dizer que são perseguidos e martirizados por causa da fé deles.

    Não acho que tem outra explicação, porque se você for pensar bem, essa tática de fazer terrorismo é idiota, só causa complicações para a sua vida mesmo, fazendo todo mundo se virar contra qualquer causa você esteja “defendendo”.

  2. Maria Lídia Says:

    Desta vez eu nem sei o que dizer… :-(

  3. Andrea Says:

    Olá!

    sempre leio o seu blog e neste dia eu estava em Stockholm, muito proxima ao ocorrido.Escutei o estouro mas nao cheguei a me atentar , só chegando aqui no Brasil tive idéia do que estava acontecendo..é assustador pensar o que poderia ter ocorrido se o atentado fosse “bem sucedido”!

Leave a Reply

 

Bad Behavior has blocked 1771 access attempts in the last 7 days.