March 22, 2007

Sorvete é coisa séria (ou a hipocrisia de uma nação)

GB Glace “Girlie” Ahhh, Suécia, Suécia. Esse paisinho tão especial e, por vezes, meio caricato e provinciano, a ponto de ser quase absurdo. O verão está chegando, e com ele, os novos lançamentos de sorvetes — uma mania nacional. Só que o que seria dos nativos sem uma polêmica? A GB Glass, que corresponde à nossa Kibon, acabou de lançar seu novo sorvete, Girlie (foto), uma estrela cor-de-rosa com gosto de hallon (frutinha vermelhinha, prima distante do morango).

Você acha isso controverso? Pois é, eu também não. Mas os suecos acham. Dezenas de blogs e jornalistas mainstream criticam o sorvete, por discriminar os meninos. Hã? Cuma? Pois é, eu também não tinha entendido nada. Aí li hoje o comentário de uma jornalista do meu jornal, Karin Rebas, que disse achar “uma pena que os meninos não sejam também alvo de criações engraçadas, coloridas e cheias de gliter — seja no que diz respeito a roupas, brinquedos ou sorvete.”

E o pior é que essa polêmica glacial não é a primeira. Na primavera-verão de 2005 foi a vez de uma criação da mesma GB Glass causar mal-estar em muitas pessoas. Tratava-se de um sorvete negro, chamado Nogger Black. Os suecos politicamente corretos pularam na cadeira e se enfureceram. Uma empresa multinacional não podia batizar um sorvete negro com um nome tão ligado à discriminação racial! Foi uma polêmica danada. E o sorvete, pasme, sumiu de circulação.

Enquanto os nativos se enfurecem por causa de um sorvete cor-de-rosa, milhares de pessoas morrem no Sudão, no Iraque e na Palestina. Enquanto os nativos se enfurecem por causa de um sorvete negro, imigrantes têm dificuldade em conseguir um emprego ou alugar um apartamento na Suécia por conta de seus sotaques e de seus nomes. Enquanto tudo isso acontece, homossexuais nativos não podem doar sangue, que não é aceito pelas autoridades de saúde daqui (alô alô seu síndico! a noção de “grupos de risco” acabou há 20 anos!)

A palavra em sueco do dia é glass, sorvete.

Filed under: Europa & Escandinávia,Vida de imigrante — Maria Fabriani @ 09:38

2 Responses to “Sorvete é coisa séria (ou a hipocrisia de uma nação)”

  1. Janaina Says:

    É cada uma que tem por aqui também achei uma discussão boba e desnecessária…

  2. Giovana Says:

    Oi Maria! Adorei… e é verdade, esse povo tem tempo de mais pra se preocupar com sorvete… ri bastante, obrigada! Ah, e hallon em portugues é framboesa ;-)

Leave a Reply

 

Bad Behavior has blocked 1325 access attempts in the last 7 days.