January 1, 2012

Folie à deux

Comecei “Freedom”, de Jonathan Franzen (JF), no dia 28 de dezembro. Quando comecei a ler a saga da família Berglund foi como se uma mini-versão de JF estivesse dentro do livro e tivesse me puxado pra dentro da história - imaginem um homenzinho pequenininho me pegando pela gola da camisa e fechando o livro. Agora me encontro lá, no meio da página 292, imaginando se Joey vai cair na real, ou se Walter vai compreender de uma vez por todas o que está acontecendo ao redor dele, se Patty e Richard vão dar vazão ao que sentem um pelo outro, se Jessica vai aparecer mais, ou se o universo inteiro vai implodir numa cascada de desordem, mentiras e absurdos - provavelmente sim, o que é ainda mais bacana. Eu respiro JF, como JF e penso JF. JF e eu, eu e JF. (Desculpa aí, urso!)

Filed under: De bem com a vida,Livros — Maria Fabriani @ 11:59
 

Bad Behavior has blocked 545 access attempts in the last 7 days.