June 30, 2002


BRASIL!!!

copa.jpg

Futebol CINCO ESTRELAS:
58 - Världsmästare

62 - Campeón

70 - Campeón

94 - Champion

02 - Champion

Filed under: Conquistas — Maria Fabriani @ 14:56

June 29, 2002

Minhas aventuras em Estocolmo: Skansen




O Skansen é uma espécie de museu a céu aberto, onde pode-se ver como a sociedade sueca viveu séculos atrás. Há casas toscas, estábulos, lareiras e fogões a lenha, jardins lindos, roseiras e gramados. É o típico local familiar, onde é normal se fazer piqueniques com muitas criancas correndo ao redor. É lindo e, o melhor, não é gigantesco, ou seja, pode-se passar uma tarde lá, conhecer boa parte do parque e ainda voltar pra casa animado. No Skansen tem várias atracões interessantíssimas, como a feitura de vidro (amei!) e diversos cafés, restaurantes e lojinhas que imitam os tempos antigos. Por exemplo, lá podemos comprar um pão feito na hora e com a receita das camponesas suecas de mil setecentos e lá vai pedrada. Um delícia!
Amanhã tem mais Skansen. Avisem se as fotos estiverem pesadas, ok? Só não coloco o resto porque sei que pode dar bode carregar demais o blog.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 16:31

June 28, 2002

Minhas aventuras em Estocolmo: o acidente

Stefan e eu estávamos procurando uma vaga no centro da cidade. Pra quem me lê do Rio ou de São Paulo sabe que essa não é uma tarefa fácil. Bom, conseguimos encontrar um edifício-garagem, entramos e, quando estávamos saindo (não havia vagas), ficamos parados em uma curva. O carro de servico do exército, um Volvo maravilhoso, era também enoooorme. Pra sair dali comecamos a dar ré quando escutamos o característico “plóc” e uma buzina.
Claro, haviamos dado ré no carro de trás, que estava simplesmente colado na nossa traseira, um horror. Mas o pior foi que o fulano saiu enlouquecido do carro, xingou até a quinta geracão de todos os militares da Suécia e ainda chutou o Volvo. Stefan, perfeito, impassível, controladíssimo, como poucos suecos - e poucos seres humanos em geral, for that matter - ouviu todos os xingamentos, diretos e indiretos, em silêncio.
Eu, em pânico, só sentia as pernas tremendo de adrenalina e minha cabeca só pensava que se o cara tivesse uma arma ele teria atirado na gente ali, na hora. Fiquei tão nervosa que chorei todo o caminho de volta pro hotel. O acontecimento foi a história preferida da viagem e Stefan já fez milhões de piadas a respeito. Não precisamos pagar nada porque o seguro do exército cobre, mas mesmo assim foi um susto.
Ah, sim: o carro do fulaninho era um Jaguar. :cO
Amanhã tem Skansen e Vasamuseet.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia,Irritação e ironia — Maria Fabriani @ 14:47

June 27, 2002

Minhas aventuras em Estocolmo: Gamla Stan



A parte de Estocolmo da qual mais gostei é a chamada Gamla Stan, ou cidade antiga. O bairro foi criado há exatos 750 anos, ao redor do castelo, que nasceu no século XIII como uma casa de comércio. Estocolmo cresceu e se expandiu a partir desse pedaco de solo sueco. Cheio de laguinhos e ruas estreitas pavimentadas com pedras, o bairro é um dos mais glamurosos (e caros) para se morar. Hoje é também uma grande atracão turística, com seus pequenos cafés e restaurantes, mesinhas na calcada e lojinhas de souvenirs. Tem também a Catedral de Estocolmo, onde o Carlos Gustavo se casou com a Silvia, e onde tem uma estátua linda de St. Göran [ióran] - o nosso São Jorge - em seu cavalo sendo desafiado pelo dragão. Recomendo demais a visita. Tudo, absolutamente tudo é lindo.
Avisem se as fotos estiverem pesadas demais, ok? Bredband é ótimo, mas a gente perde a nocão.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 16:57

June 26, 2002

Minhas aventuras em Estocolmo: Ikea

Depois de passar 13 horas em um trem, meu humor já tinha ido pro espaco. Stefan, sentindo o perigo de morte, resolveu me levar à Ikea. Salvou o dia, né? Depois ainda perguntam porque eu amo tanto ele :c)
Chegando lá, tentei fotografar o nome da loja, que ocupa um prédio inteiro em um subúrbio de Estocolmo. Estava no carro (adoro fotos de dentro do automóvel em movimento) e mirei no nome. Saiu isso aqui. Gostei mesmo assim. Adoro essas surpresas.
Bom, a Ikea per se não é nada demais. Quem já foi à Tok & Stok já foi à Ikea. Eu, que sempre amei praticidade, design bonito e bons precos, adorei mesmo assim. Claro que não pude comprar nenhum móvel - como é que eu ia carregar o treco de volta, no trem? Nem pensar. Mas fiz compritas sim: levei pra casa um bowl de madeira para saladas (lindo!) e uma luminária de teto no feitio japonês, redondo, feito com papel de arroz, e que eu já tinha tido no meu apartamento no Rio.
PS.: A placa, Vägarbetsområde [végarbetsomrôde], quer dizer “área com obras na pista”.
Amanhã tem mais sobre Gamla Stan e um acidente que hoje, quase uma semana depois, já está até parecendo engracado.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 17:04

Ganhamos!!!

Gente, que maravilha! Claro que não vencemos bonito, como contra a Inglaterra, mas tudo bem. O importante é que ganhamos. Agora, vou contar uma coisa a vocês: é difícil assistir aos jogos fora do Brasil, viu? Não vou dizer que eles estivessem torcendo em peso para os turcos, mas, antes da partida, a maioria dos suecos estava, digamos assim, bastante consciente das falhas da selecão e, ao mesmo tempo, destacavam sem parar o bom time da Turquia. Ai, tava com vontade de gritar! (E gritei). Por outro lado, como é bom não precisar ouvir as sandices que o Galvão Bueno diz! U-hu! Estamos nas finais!!!
Historinha: aqui na Suécia há um costume meio esquisito: quando algum dos times daqui vencem - seja no campeonato de hóquei no gelo, seja no de futebol - as pessoas vão festejar em carreata até um monumento em forma de obelisco, bem no centro de Estocolmo. Lá, se jogam na água do lago faca frio ou calor. É um daqueles lugares centralíssimos, vitais pra quem quer cruzar a cidade. Pois bem, quando a Turquia venceu o Senegal, os turcos invadiram o tal do chafariz e, claro, eu jazia no carro, ao lado de Stefan e de um companheiro de trabalho dele, ambos perplexos com a festanca turca. Stefan, apesar de calmo, estava ao volante e não conseguia acreditar que os caras simplesmente deixaram os carros no meio da rua e foram festejar dentro d’água. “Será que eles não sabem que isso é proibido?”, perguntou ele. “Eles sabem sim”, respondi eu. “Mas eles não são suecos e exatamente agora não têm esse apego todo especial às regras daqui”.

Filed under: Conquistas — Maria Fabriani @ 15:41

June 25, 2002

De volta

Em casa. Compras. Pão, leite, iogurte, carnes, coca light, pepino, tomate, alface, cebola, macarrão, champignons, creme de leite, suco de laranja, sorvete de manga, bolo de cenoura. Café da manhã. Baguete, café com leite e Dietil (minha mãe mandou pelo correio). Banho quente. Massagem com luva de banho da Body Shop, creme e cama. Meus travesseiros, meu cheiro, um livro. Está dez graus lá fora e chove. Mil fotos pra mostrar, histórias pra contar etc. Me dê só um momentinho….zzzzzzzzzzzzzzzzz.

Filed under: Vidinha — Maria Fabriani @ 10:33

June 23, 2002


Feliz Aniversário, Meg!!!

Meditative Rose, 1958 — Salvador Dali

Filed under: Aniversários — Maria Fabriani @ 12:24

Folkdräkt fast food

As roupas típicas de cada região sueca, os chamados folkdräkt, são muito bonitos e coloridos. Os trajes foram criados pelos camponeses séculos atrás e são utilizados em todas as festas nacionais, como dia da bandeira (6 de junho) e, claro, durante o Midsommar. Leia mais aqui sobre isso (site em inglês).
Mas estou falando disso porque ouvi uma historinha interessante aqui. Depois de descobrir que eu não era sueca e, mais impressionante, era brasileira, um amigo do Stefan contou que visitou o Brasil quando ele tinha uns dez anos. Ele participava de um programa da ONU que levava criancas para conhecer diferentes realidades em diferentes países. No final das duas semanas do evento houve uma festa. Cada crianca deveria vestir um traje típico, para mostrar tracos de sua cultura.
O suequinho, muito a contra gosto, foi vestido com o seu folkdräkt, mas foram os africanos, segundo ele, os mais bonitos: cheios de cores e tecidos incríveis. Mas um país em especial chamou a atencão de todo mundo. As criancas americanas, na falta de qualquer tipo de história - a não ser os clichês hollywoodianos de cowboys e que tais - foram vestidos (pasmem!!!) com uniformes de empregados do McDonald’s. Será que é verdade mesmo?

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia,Irritação e ironia — Maria Fabriani @ 11:56

June 21, 2002

Verão, elfos e morangos

Esqueci de contar que estaríamos passando o feriado de meio do verão, Midsommar aqui em Estocolmo. O Midsommar é uma das maiores festas da Suécia. O feriado cai sempre em uma sexta-feira, no final de junho. Para quem gosta da tradicão religiosa, o Midsommar comemora o nascimento de João Batista. A festa é mais velha do que o cristianismo, acontece há mais de mil anos aqui na Suécia e comemora também o dia mais longo e a noite mais curta do ano. É normal se vestir bem para comemorar o Midsommar. Há até quem festeje vestido com as roupas típicas de cada região da Suécia, os chamados folkdräkt [folkdrékt].
Os suecos comemoram o Midsommar com muitas flores e folhas, que são trançadas na forma de coroas vivas e colocadas na cabeça de crianças e adultos. Muito bonitas. Há também a tradição de se dançar em torno do midsommarstång, um poste que se cobre com folhagem. Os suecos cantam músicas antigas, acompanhados por músicos e exaltam uma coisa que acho engraçada: os sapos. Pois é, ainda preciso investigar um pouco mais isso, mas há uma paixão nacional por sapos, que estão presentes em canções e na forma de decorações variadas. Prometo me informar mais a respeito e contar aqui.
Diz-se que a natureza ganha poder extra durante o Midsommar. Antigamente as pessoas costumavam visitar fontes de água límpida e beber para se sentir mais saudável. Além disso, acreditava-se que a noite de sexta para sábado, a chamada Midsommarnatten seria mágica: os elfos dançariam e os trolls se esconderiam atrás das árvores. Há tradições que ainda permanecem, claro. Uma delas é a coleta de nove tipos de flores selvagens para que sejam colocadas debaixo do travesseiro na noite de sexta para sábado. Apenas as meninas cumpriam essa tradição. O motivo? Com as flores debaixo do travesseiro elas poderiam sonhar com seus futuros maridos. :c)
Outra parte importante da comemoração do Midsommar é a comida. A tradição manda que haja batatas frescas, um peixe delicioso chamado “Sill”, gräddfil, que é uma espécie de creme de leite, cebolinha e queijo, entre outros ingredientes. Depois disso vêm os morangos. Sim porque no Brasil morango só no inverno, né? Aqui, morango é fruta de verão.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 09:40
Next Page »
 

Bad Behavior has blocked 494 access attempts in the last 7 days.