May 31, 2002

É SENEGAL!!!

Filed under: Conquistas — Maria Fabriani @ 15:28

Mario Lago

“Eu fiz um acordo de coexistência pacífica com o tempo. Nem ele me persegue e nem eu fujo. Qualquer dia a gente se encontra”.
Acompanhei um amigo que iria entrevistar o Mario Lago no seu apartamento em Copacabana para uma revista portuguesa. Fiz até algumas perguntas porque ele sabia tanto! Uma inspiracão um artista assim! Sabia sobre música, teatro, cinema, livros. Uma inspiracão.
Que siga em paz.

Filed under: Saudade — Maria Fabriani @ 08:57

May 30, 2002

A relatividade da vida

Está 24 graus aqui e eu estou morrendo de calor!!!

Filed under: Vidinha — Maria Fabriani @ 14:32

Você acredita em duendes?


Você acredita em duendes?

Uma das descobertas que fiz na Suécia foi como as florestas daqui são lindas. Não têm a exuberância da Mata Atlântica ou da Floresta Amazônica, mas em sua maneira especial parecem ser mágicas. Sempre que ando pelas trilhas daqui ou passeio de carro fico procurando os duendes, as fadas e os trolls no meio das pedras cheias de musgo e das árvores espacadas.
E olha que eu nunca grudei um daqueles adesivos infames no meu carro, hein. :c)

Filed under: Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 09:02

May 29, 2002

Inacreditável

Acabei de assistir a um documentário que me deixou de queixo caído. Entrevistou-se um historiador que tenta provar que a Copa do Mundo de 1958, aqui na Suécia, na qual o Brasil conquistou seu primeiro título mundial, não aconteceu. Isso mesmo: ele diz que o mundial de 58 não aconteceu.
O historiador sueco Bror Jacques de Waern tenta provar que a Copa de 58 não aconteceu de verdade na Suécia, como todo mundo pensava, mas foi uma série de jogos disputados para inglês ver, em Los Angeles, na Califórnia. A razão que teria levado os jogos a serem disputados nos EUA seria porque os americanos queriam saber o poder de influência da televisão nas pessoas.
Para comprovar sua pesquisa, de Waern escreveu o livro “The Football Conspiracy”, no qual mostra fotos de prédios que ele diz não existirem na época perto dos estádios, estudos sobre a insidência solar e outros detalhes inusitados. Até as chuteiras dos jogadores brasileiros, que disputaram a final com a própria suécia, entram na danca. De Waern diz que os calcados brasileiros são falsos por serem muito mais avancados do que os utilizados na época.
O historiador é um dos fundadores de um grupo chamado Konspiration 58, que tenta provar toda essa teoria. Segundo a caixa do clube, desde que criou sua home page, o Konspiration 58 já recebeu mais de 4 mil novos sócios. E outra informacão interessante: o próximo passo é abrir uma filial do grupo no Brasil. Durma-se com um barulho desses.
Mas, vem cá: se isso tudo for mesmo verdade, como é que o Garrincha arranjou tempo para ter um filho com uma sueca?

Filed under: Conquistas,Europa & Escandinávia,Irritação e ironia — Maria Fabriani @ 20:46

Mais curiosidades

Mais um pouquinho de curiosidades aqui dessa terra fria porém hospitaleira. (Tom, estou trabalhando na sua pauta. Assim que ficar satisfeita com minha apuracão publico aqui, ok?)
— Sabia que não existem preposicões em finlandês?
— Fazia idéia de que os finlandeses não fazem o som do “g”?
— Podia imaginar que ter olhos castanhos aqui é considerado cool?
— Imaginava que a rainha Silvia sabe falar sete idiomas? (português - a mãe dela, Alice, era paulista - alemão; sueco; espanhol; francês; inglês; e linguagem sueca de sinais)?

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia,Variedades — Maria Fabriani @ 19:47

May 28, 2002

Sol da meia-noite

Hoje vai ter sol da meia-noite em Kiruna, no extremo norte da Suécia. O sol simplesmente permanecerá acima da linha do horizonte e só comecará a descer depois do Midsommar, ou meio do verão, 23 de junho, dia com maior quantidade de luz do ano. A partir daí e até dia 21 de dezembro, a luz vai desaparecendo pouco a pouco.
O link que eu coloquei aí na palavra “Midsommar” é de uma página em sueco, sorry. Mas mesmo assim é interessante visitar. Há quatro fotos lá que retratam fielmente como as pessoas festejam aqui na Suécia a chegada do sol e do “calor”. As duas primeiras são do jardim e da casa, que é uma sommarstuga (sommar = verão, stuga = casa de veraneio). Reparem na cor vermelha da casinha (quase todas as casas aqui são dessa cor, lindo) e na bandeira da Suécia no mastro. É muito comum isso aqui, mas não quer dizer que os suecos sejam ufanistas não. É só costume mesmo. Eu, se fosse sueca, também colocaria a bandeira na frente da minha casa. Acho essa combinacão do azul com o amarelo super fashion. :c) As outras duas fotos são da família reunida no jardim, comendo em volta da mesa, e o gato da família, meio contrariado.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 18:37

May 27, 2002

O rei e eu

O rei Carl Gustaf já veio aqui em Boden e eu o vi de pertinho. De fato, posei até de fotógrafa para um dos participantes da banda que iria tocar quando o rei estivesse saudando a bandeira e tudo o mais. Era uma cerimônia fechada ao público, mas Stefan disse que eu podia ir ver o rei. “Tudo bem”, disse.
Estava chovendo horrores, eu com uma dor de cabeca desgracada, mas fiquei até o final, tirando fotos para uma pessoa que nem conhecia. Bom, tirei ótimas fotos (a câmera era digital) das costas do rei. Mesmo assim, o músico ficou feliz. O rei é baixinho e, fiquei sabendo depois, disléxico. E fuma. Blerght!
PS.: Na foto, sentados, estão o rei e a rainha Silvia. Os filhos, de pé, da esquerda para a direita: princesa coroada (crown princess) Victoria, que vai ser a rainha depois do pai; príncipe Carl Philip e princesa Madeleine, ambos vivendo “la vida loca” como diria Ricky Martin. Diz lá no site também que a família real sueca não pode ser contactada via e-mail. Coitados, não? :c)

Filed under: Europa & Escandinávia — Maria Fabriani @ 21:41

Amiga do rei

Acabei de assistir a uma matéria sobre o prêmio Polar (não sei se há uma traducão mais correta em português, mas o original sueco é Polarpriset), conferido pela Suécia à compositores que se destacaram em todo o mundo. Cada um tem direito a receber 1 milhão de coroas suecas (mais ou menos 100 mil dólares).
A emocão foi assistir à Miriam Makeba, uma senhora negra, com rosto redondo e olhos de quem já viu muito e de quase tudo, receber a placa do rei Carl Gustaf, com uma deferência profunda. É dela aquela música bacana chamada “Pata pata”. São sempre dois músicos que ganham. Além da Miriam, a compositora russa Sofia Gubaidulina ganhou também a honraria este ano.
O bispo Desmont Tutu também estava lá e fez discurso sobre os sons que Miriam apresentou ao mundo, entre eles, um som feito pelo estalar da língua no céu da boca. No discurso de agradecimento Miriam disse: “Nunca podia imaginar que uma menina das Townships na África do Sul pudesse receber um prêmio assim. Nunca pensei que eu fosse conhecer nenhum rei!”.
Quem já ganhou um Polarpriset:
1992: Paul McCartney e Estônia, Letônia e Lituânia.
1993: Dizzy Gillespie e Witold Lutoslawski.
1994: Quincy Jones e Nikolaus Harnoncourt.
1995: Elton John e Mstislav Rostropovitch.
1996: Joni Mitchell e Pierre Boulez.
1997: Bruce Springsteen e Eric Ericson.
1998: Ray Charles e Ravi Shankar.
1999: Stevie Wonder e Iannis Xenakis.
2000: Bob Dylan e Isaac Stern.
2001: Burt Bacharach, Karlheinz Stockhausen e Robert Moog.

Filed under: Cinema e televisão,Europa & Escandinávia,Música — Maria Fabriani @ 18:58

May 26, 2002



“Estava à toa na vida
O meu amor me chamou
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor”

(Chico Buarque de Hollanda)

Filed under: Vidinha — Maria Fabriani @ 10:16
Next Page »
 

Bad Behavior has blocked 1052 access attempts in the last 7 days.