May 22, 2013

Meus filhos

Max_Mia

Filed under: Conquistas,De bem com a vida — Maria Fabriani @ 07:11

August 27, 2012

Uma filha

Eu tenho uma filha. Mia, seja bem-vinda!

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Gravidez — Maria Fabriani @ 16:53

May 9, 2011

10 anos

Acredite se quiser, mas moro na Suécia há 10 anos. Hoje faz dez anos que subi naquele avião da Lufthansa e me mandei pro desconhecido. Nem sei o que dizer, escrever. Foi, ainda é e sempre será uma viagem. Cabe a mim aproveitar ao máximo.

March 15, 2011

Quase lá

A vida está difícil. Está difícil. Por outro lado, ando muito feliz. É, balanco entre os polos. Sinto que a vida sempre rolou e continua rolando e eu vou com ela, que nem uma rolling stone, sem deixar musgo crescer. E daqui a uns meses completo 40 anos. Puxa vida. Foi ontem que eu achei que era imortal, quando completei 18.

Filed under: Aniversários,Conquistas,Elucubrações,Vidinha — Maria Fabriani @ 08:23

March 22, 2010

Não é por nada não…

…mas o meu irmão passou em vigésimo primeiro lugar no vestibular da UFRJ pra direito. Quantos eram os candidadtos? Ah… só 10.240…

É mole ou qué mais?

Parabéns querido irmão, você é o máximo.

Carlos, estou muito orgulhosa de você, de tudo o que você é. No que diz respeito a você, não precisar conquistar nada, basta ser, existir, que eu já estou gostando. Você sempre foi meu irmãozinho e sempre será. Muito amado. Um beijo! Maria

Num tem pra ninguém!!!!!!!!!!

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Saudade — Maria Fabriani @ 21:10

March 5, 2010

Um dia, em casa

Um dia, em casa. Silêncio. Ouco apenas a neve deslizando do teto da casa (um bom sinal); meus passos no chão; a madeira reclamando; o banho; a secadoura de roupas; o relógio da cozinha; o som do micro. Um pouco de rádio.

Que acordei às cinco da manhã com uma dor de cabeca lancinante ninguém diria. Estou ótima. O silêncio me faz bem. Fico espantada como senti falta da solitude de um dia passado em silêncio, sozinha, em casa.

Depois de decidir o que fazer de almoco, desligo o rádio, com o qual tenho uma relacão de amor e ódio. Gosto de música mas não gosto de barulho contínuo. Só quando me encontro em situacões onde não se pode pensar em nada mais elaborado, no carro por exemplo, é que o rádio é indispensável.

Tudo é absoluto prazer. Arrumo pequenas coisas; esquento um pedaco de omelete com brócolis, bebo água com uma rodela de limão espanhol, amarelo. A refeicão tem que levar pelo menos 15 minutos - tempo suficiente pro corpo dizer pro cérebro de que comida foi ingerida e já já é hora de se mandar sinais de satisfacão.

Hoje é sexta-feira. Estive resfriada a semana inteira. Fui trabalhar na terca e na quinta. Fiquei exausta porque estava difícil de respirar. Hoje resolvi ficar em casa para me recuperar de verdade. Liguei pro trabalho; falei com a chefe, que entendeu. E disse pra eu dar uma andada, “porque o dia está lindo”.

De fato, está. Sol, apenas três graus abaixo de zero. Eu pretendo sair, claro, quero andar. Mas… Nada no mundo é melhor do que a felicidade e o luxo de fazer o que você mais quer na hora em que você deseja.

E hoje, nesse momento, o que quero é deixar o silêncio me abracar, me deitar com o livro da Janet Frame e não me sentir tão estranha; aceitar que há quem goste - prefira! - a solitude à outros estados de socializacão. E que isso é OK.

Tomo café na minha xícara azul-cobalto, finlandesa, com uma coruja e um pavão e várias árvores coloridas. Linda. Estou tão feliz que fico assustada… e com vergonha.

A palavra em sueco do dia é tystnad, silêncio.

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Elucubrações — Maria Fabriani @ 12:44

December 4, 2009

Passou!

carlos_rosto_peqconteceu uma coisa mágica: meu irmão passou no vestibular pra PUC! Não, não que fosse impossível, vejam bem, porque ele é um rapaz inteligentérrimo, sempre com notas altíssimas e tals. Mas é que tem uma coisa especial em passar no vestibular. É como se você pudesse, finalmente, respirar aliviado.

Minha experiência foi assim: depois de um fracasso justamente na PUC, passei e fiquei tão aliviada que chorei muito e jurei que nunca mais, nunca mais, nunca mais, precisaria estudar matemática na vida. Ai, que sensação maravilhosa, que conquista!

(Depois de muuuuitos anos, de mudar de país, hemisfério e quase DNA, me vi forçada a fazer mais uma faculdade em que estatística fazia parte do currículo. E eu tive que estudar, mesmo desgostosa. Matemática já é um perrengue em português, imagina em sueco! Não é pra qualquer um não!)

Mas, voltando ao que interessa: sucesso total do meu irmãozinho. Dezoito anos de idade, um gênio da raça, compreendem? Nossa, queria estar no Rio dos apagões e do calor infernal pra dar um beijo no meu irmão, que é lindo e inteligente. Que orgulho!

Parabéns, Carlos!

A foto ao lado é dele pequenininho, em Búzios. Adoro essa foto. Tão sério, com boné todo colorido. :)

A palavra em sueco do dia é stolt, orgulhosa.

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Rio de Janeiro, Brasil,Saudade — Maria Fabriani @ 22:45

October 8, 2009

Nobel, olimpíadas e trabalho

E a escritora germano-romena Herta Müller (foto) ganhou o prêmio Nobel de literatura desse ano. Nunca li Herta Müller, nem sabia que ela existia. Vou, agora, lê-la, até porque me informei que ela escreve sobre a sensação de estranhamento que o indivíduo sofre em seu próprio país, durante uma ditatura, além do estranhamento que o indivíduo sente com relação à sua vida em geral (aquela coisa de que não adianta estar rodeado de gente para evitar a solidão etc).

Bacana.

Quem anunciou o prêmio foi o escritor sueco Peter Englund, que acabou de começar a trabalhar como secretário da academia sueca. Ele é historiador, bem novo, e vem de Boden. A biblioteca daqui, que fechou na primavera para reformas e da qual senti muitas saudades durante todo o verão, vai ser reaberta agora no final de outubro com uma festança. Peter Englund vem pra sua cidade natal como convidado de honra na inauguração.

No mais, chorei muito quando o Rio ganhou as olimpíadas de 2016. Fiquei surpresa com minha reação; simplesmente não esperava chorar por conta disso. Mas, mais uma vez, a coisa da saudade se faz lembrar, por mais que a vida aqui siga em frente, feliz e repleta de acontecimentos positivos. Não comento o outro lado da moeda, de como esses jogos serão financiados, às custas de quem, etc. Tudo isso me vêm à cabeça, mas me sinto pouco capaz de comentar de forma competente.

E eu, finalmente, depois de oito anos na Suécia, consegui um emprego fixo. Meu trabalho, onde comecei em dezembro de 2007 como temporária, anunciou duas vagas. Eu mandei meu currículo pra minha chefe e consegui uma das vagas. O sistema empregatório daqui é meio complicado, com uma série de leis e tals. Não comento por falta de tempo e saco, mas conseguir um trabalho fixo é, acredite, uma façanha. Seja você imigrante ou nativo. Então, parabéns para mim!

A palavra em sueco do dia é fast anställning, emprego fixo.

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Eu ♥ a Suécia,Livros,Trabalho — Maria Fabriani @ 15:01

August 14, 2009

Dois anos de idade

IMG_1521 (Medium)

IMG_1527 (Medium)

IMG_1553 (Medium)

IMG_1584 (Medium)

A palavra em sueco do dia só poderia ser stolt, orgulhosa(o).

Filed under: Aniversários,Conquistas,De bem com a vida,Max e a maternidade — Maria Fabriani @ 05:05

September 20, 2008

Viva!

Max andou.

O verbo em sueco do dia é att gå, ir, andar.

Filed under: Conquistas,De bem com a vida,Max e a maternidade — Maria Fabriani @ 18:27
Next Page »
 

Bad Behavior has blocked 545 access attempts in the last 7 days.